Tuesday, July 23, 2013

totipaliano is still waiting for you to join Twitter...

 
Top corners image
     
 
   
 
 
 

totipaliano is still waiting for you to join Twitter...

 
 
  Accept invitation  
 
     
 

Twitter helps you stay connected with what's happening right now and with the people and organizations you care about.

 

Tuesday, July 09, 2013

totipaliano is still waiting for you to join Twitter...

 
Top corners image
     
 
   
 
 
 

totipaliano is still waiting for you to join Twitter...

 
 
  Accept invitation  
 
     
 

Twitter helps you stay connected with what's happening right now and with the people and organizations you care about.

 

Monday, July 01, 2013

totipaliano is still waiting for you to join Twitter...

 
Top corners image
     
 
   
 
 
 

totipaliano is still waiting for you to join Twitter...

 
 
  Accept invitation  
 
     
 

Twitter helps you stay connected with what's happening right now and with the people and organizations you care about.

 

Sunday, March 10, 2013

Ser

Ninguém vai
deixar de gostar
de você
só porque
não é perfeito.
Em vez disso
vou gostar mais ainda
de ver você tentar
gostar de ser
um completo
imperfeito.

Toti Paliano, 07 March 2013.


Sunday, January 13, 2013

Uma história pequena, parte 2

Capítulo 2
Clarissa sempre teve vontade de falar com ele. Sim. Podia não parecer mas ela gostava do jeito tímido e quieto de Pedro. Ele tinha algo que chamava a sua atenção mais do que muitos dos outros garotos. Mas ele era muito, mas muito tímido, e ela não entendia aquilo. Ele era bonito e educado e todos gostavam dele, apesar de quase nunca abrir a boca. Ela sempre notou seus olhares que fugiam quando ela tentava encarar mas nunca passou daquilo. Desde o primeiro ano ela sempre teve curiosidade em conhecer aquele colega mas ele

Capítulo 3
- Hã...? É comigo?
- Pedro, tu tá bem?
- Não... sim... quer dizer, tô... é que... é que... não sei...
- Eu precisava da tua ajuda mas acho que não vai dar, né?
- Não, acho que não. Quer dizer! Sim!! Claro!!! Mas do que é que tu tá falando mesmo?
- Ai Pedro, acho que hoje tu não tá bem, né?
- Tô sim. Desculpa. É que esses trabalhos estão me deixando meio louco!
- Ah, eu também.
- Mas me diz, o que tu precisa? Tem certeza que é comigo?
- Bom, eu tô meio mal em Inglês e todo mundo sabe que tu é o cara na matéria e só tira dez nos trabalhos. Preciso da tua ajuda pra montar esse diálogo que a profe pediu.

Pedro escutou aquilo e pensou bem mas ainda tinha a impressão de que não era com ele aquela conversa. Disfarçou e olhou para trás para ter a certeza de que Clarissa não falava com algum de seus colegas e então criou coragem para voltar a olhar para ela.


- Pedro... Pedro!
- Oi, desculpa! Eu acho que tô um pouco cansado mesmo!!


Naquele momento Clarissa até pensou em desistir da ajuda dele mas precisava muito daquilo, por isso decidiu continuar tentando fazer contato com seu estranho colega.
Quando tudo parecia calmo, Pedro Luís entrou em pânico. Era a primeira vez que Clarissa vinha falar com ele em todos aqueles anos. Os dois conheciam-se desde o primeiro dia de escola na primeira série mas nunca haviam se falado. Não por falta de vontade dele. É que ela nunca o notara. Clarissa era daquelas meninas perfeiras, conforme a descrição de Pedro. Era bela e inteligente. Com cabelos loiros que faziam qualquer dia transformar-se em uma bela manhã de sol de primavera. Tinha olhos verdes que serviam ainda mais para reforçar sua idéia de perfeição. Sua voz era doce e delicada e quando falava tudo parecia ter sentido. Sim, ele sempre fora seu fã e também um apaixonado pelo jeito dela. Por várias vezes ele já decorara aquelas palavras em frente ao espelho mas na hora H travava. O medo e a vergonha de adolescente faziam com que ele não conseguisse pronunciar uma única sílaba. Mas agora, o que faria? Ela estava ali para parada na sua frente, falando sobre aquele trabalho de Inglês mas ele não sabia o que dizer...

Uma história pequena

Início

Esta era para ser uma história curta, sobre alguém que tem problemas. Ele gostaria de poder falar, gritar, contar para todo mundo o que acontece. Mas infelizmente isso não é possível. Hoje ele estava se sentindo muito mal por ter ouvido todas aquelas coisas do seu pai e ter que ficar ali, quieto, mudo, sem poder de reação. Era algo que ele não gostava e que lhe deixava triste mas era o preço que teria que pagar por ser como era. Alguém que não tinha ação nem iniciativa para nada mais na vida. Alguém que dependia dos outros para tudo o que fazia. Todas aquelas vezes escutando, todas aquelas vezes agüentado aquela situação estavam lhe deixando amargo, depressivo e sem vontade. Todos um dia acordam. Todos um dia tomam uma decisão, e com ele não haveria de ser diferente. Há dias vinha pensando em uma solução para o problema e de repente teve uma idéia. Pela primeira vez decidiu pedir ajuda para alguém e contar o que se passava com ele. Havia em seu trabalho uma colega que parecia ser alguém em quem podia confiar, falar abertamente e sem medo de se arrepender. Jaqueline era discreta e uma mulher inteligente. Inteligente o bastante para lhe dizer como sair daquele buraco. João iria falar com ela.

Wednesday, August 15, 2012

Sonhos

Sonhos são eternos
eles não morrem
apenas dormem.
Também é verdade
que a culpa
é toda nossa.
Paramos,
desistimos
ou esquecemos.
Por medo,
preguiça...
ou pura bossa!

Toti Paliano, July 24, 2012.

Tuesday, February 07, 2012

Now

And now
a new sensation, love.
It has come
and it has gone.
And the time
when I used to be
someone who
did not see
that you
and only you
were the only
thing that I
pray to see
a new time
and a new way
you showed me
something I thought
I would not find
neither there
nor here.

Toti Paliano, 07 February 2012.

Sunday, March 06, 2011

Agora

Uma nova sensação
o amor,
bateu e voltou
quando eu menos esperava
aquele tempo de ser seu
já chegou
e agora o que eu quero
é ter tudo de um alguém
como você.
É um novo tempo
um novo jeito
um novo amor
que você chegou
e me mostrou.
Logo eu que pensava
que não ia mais encontrar
nem aqui nem ali
nem em qualquer
outro lugar.

Toti Paliano, March 06, 2011.

Friday, December 17, 2010

As horas

Tem horas
tem horas
em que mato
mato a vontade
com a vontade
de morrer
e tudo aquilo
que quero
deixo pra depois
sem pensar
se é agora
ou depois
que vou cumprir
aquilo que pensei
aquilo que queria
deixei pra trás
num fim de dia.

Toti Paliano, December 17, 2010.

Friday, December 10, 2010

Mais versos

Eu pensei
que era um santo
uma idéia insana
de um tom natural
e em carne humana
mas descobri
o pior.
Sou aquele
velho vão
impróprio perdido
de nenhum destaque
e com o
destino ruído.

Toti Paliano, December 10, 2010.

Versos

Somos incompatíveis
urânio e plutônio
totalmente inconcebíveis
Cleópatra e Antonio
mas um dia
fomos invencíveis.
Não me leve agora
não me leve a mal
é tudo o que te peço
me faça só bem
e me leve a sério.

Toti Paliano, December 10, 2010.

Monday, November 15, 2010

Domingo

Sabe aqueles dias
em que se tem tudo,
a impressão
e a vontade
de ter você
sempre aqui
no mundo meu
junto comigo
e em mais
nenhum outro lugar
onde tudo é
paz e nada mais
onde a multidão é
vazia se não estás
e onde eu penso
penso e penso
olho pra frente
e volto atrás,
porque nada mais
que o teu sorriso
me satisfaz.

Toti Paliano, November 14, 2010.

Wednesday, November 03, 2010

Em movimento

Não sou
aquilo que pareço
nem mesmo
aquele que gostaria.
Tentar, tentei.
Errar, também.
Por vezes
falei errado
em outras
fiz apenas o que podia.
E depois de
todo este tempo
ainda pergunto,
por onde você andaria?

Toti Paliano, November 03, 2010.

Sem nada

A vida não nos dá
explicação
assim como é fácil dizer
não é fácil viver
na minha solidão.
O velho vento do norte,
os exércitos contra um soldado
não sabem o significado
do que é mesmo
ser forte.
Fosse eu um andarilho,
um caminhante,
estaria agora
em qualquer parte,
errante.

Toti Paliano, October 29, 2010.

Wednesday, October 06, 2010

Pensamento

Quanta gente
pensou que era forte
quanta gente
pensou que não tinha fim
e agora que tudo acabou
lembraram que as coisas
nem sempre são bem assim.
Aquilo tudo que penso
aquilo tudo que falo
o imenso vazio que sinto
não diz nada por mim
então falo, discuto e
aprendo
ao mundo em que vivo,
me rendo.

Toti Paliano, October 06, 2010.

Metades

Nem meia palavra
nem meia-noite
o que eu quero
é tudo inteiro
e pra mim
é sempre assim
o mundo inteiro
é o meu viveiro
sem ter hora
nem ter fim.
Não diga nada
agora
nem faça nada
sem mim
esqueça o que eu disse antes
mas jamais nem por um minuto
se esqueça de mim.

Toti Paliano, October 06, 2010.

Sonhos

Sonhos de uma noite
que virão
e eu sonho estar contigo
nesta noite então

sonhos de uma noite
que verão
e eu sonho ser o ombro amigo
nesta escuridão

sonhos de uma noite
me verão
que tudo o que eu queria
era poder sair do chão

sonhos de uma noite
te verão
mesmo que pra isso
tenha que andar na contramão.

Thanks dear Mr. W.S.

Toti Paliano, October 06, 2010.

Saturday, September 11, 2010

Pra um dia qualquer

Já faz sol lá fora
mas chove aqui dentro
e se eu soubesse onde andas
pediria pro vento.
Onde quer que tu estejas
eu procuro, eu tento,
mas veja, não negue
eu preciso de alento.
Teus pés, tuas cores
teus cheiros eu lembro,
nas tardes, amores,
uns dias, invento.
Mas tem tanta coisa
que eu nem sei se devo,
contar pra você
ou guardar de medo.

Toti Paliano, September 12, 2010.

Tuesday, June 22, 2010

Passado a limpo

O passado
não é bom
quando não se fala
tudo o que se quer
queria eu
ter dito
tudo aquilo
em outro
tempo qualquer
pra depois pensar
em como vou fazer
se quiser
mais uma vez
de você
me libertar.

Toti Paliano, June 21, 2010.

Sunday, June 06, 2010

Lembranças

Às vezes lembro
dos dias
que tive frio
e penso
no quanto
me esqueço
dos tempos
e invento
um jeito
de estar
com você
a tempo
de ver
o teu jeito,
há tempos.

Toti Paliano, May 25, 2010.

Palavras e sentimentos

A palavra
e o sentimento
cada um
vale o seu momento
quando estou sem você
perco o meu movimento
depois de tanto
tanto tempo
quero de novo
sentir teu
perfume ao vento
não interessa
que seja hoje
amanhã
ou depois
de algum tempo.

Toti Paliano, May 21, 2010.

Sunday, May 02, 2010

Coisas XXXVII

Tempestade em mim
louco por te ter
como arde em mim
o amor que sinto
por você.
Não perdoei
nem vou esquecer
daquelas minhas coisas
que você deu
sem eu saber.
Quase criou um caso
quase foi à lua.
Mas foi quando
te vi tranquila
e pensando
que estava contigo,
na tua.
Engano, senti.
Engano, engoli.
O certo
é que sei
melhor,
só Deus sabe,
como senti.

Toti Paliano, April 29, 2010.

Saturday, May 01, 2010

Coisas XXXVIII

Tantas pessoas
e muitos estranhos
mas veja meu rosto
que eu olho a tua cara
pessoas vizinhas
e todas sem nada.
Nós somos assim
um monte de gente
um bando de nada
pra lá e pra cá
sem ter pra onde ir
nem onde ficar
sem ter o prazer
de fazer
por gostar.

Toti Paliano, May 01, 20010.

Saturday, April 10, 2010

Linhas

As linhas
se encontram,
quatro delas
na palma da mão.
Meu caminho
não cruza
o caminho
que vai
direto
pro teu
coração
Mas ao invés
disso,
busco adoidado,
caminhos cruzados
e pontos de encontro
direto e sozinho
na minha solidão.

Toti Paliano, April 08, 2010.

Monday, April 05, 2010

Correndo riscos

Riscos, eu gosto de correr.
Palavras, eu prefiro escolher.
Mas de você,
é melhor eu me esconder.
A casa aberta,
a porta fechada
e o olhar em você.
Tudo isso me dá
muito medo de viver.
E às vezes eu penso,
melhor seria
nem te conhecer.

Toti Paliano, April 01, 2010.

Sunday, March 14, 2010

Saio de baixo

A dor é o que eu sinto
quando o meu peito não quer calar
Se te falo tudo o que sinto
Sei que vou
Sem querer te machucar.
Muito tempo
Muita estória
já não sei o que dizer
sou teu fã
sou teu amigo.
Posso fugir, me embriagar
mas não sei mais
o que fazer.

Toti Paliano, March 14, 2010.

Monday, February 22, 2010

Vingança

Tudo bem
você me matou,
e daí?
Pensou que eu morria?
Errou, pois eu venci.
Voltei do inferno,
passei pelo escuro
e vi coisas tão feias
que hoje eu te juro,
nunca mais quero você
nem de lady
nem de dama
nunca mais quero você
seja pra noite
seja na cama
nunca mais quero você
do lado que seja
vestida de ouro
com laços e fitas
ou numa bandeja.

Toti Paliano, February 22, 2010.

Monday, February 08, 2010

O caso de um conto

Chega de procurar
cansei de não encontrar
palavras jogadas na rua
bilhetes de amor sem perdão
pessoas morando na lua
e eu sem te ver no verão.
Acordo fácil do sonho
e lembro de tudo que tinha
dos dias, das noites,
dos tombos,
achando que foi
tudo um conto.

Toti Paliano, February 07, 2010.

Tuesday, November 24, 2009

Coisas XXXVI

Vago cego
trem sem medo
na rua, mistério,
e tudo é segredo.
Saio de casa
quero ver gente
e tentar ser gente
mas quem mais me interessa
me vê mas não me sente.
Eu quero uma noite
de nuvens de chumbo
com água na cara
e olhos no escuro
nem chuva, nem corte
pessoas ferozes
brigando por vidas,
por vidas melhores.

Toti Paliano, November 23, 2009.

Coisas XXXV

A palavra é muda
tua voz é surda
e a minha vida é tua
a palavra muda
a vida muda
e como a vida assusta.
Mas tua mão
me ajuda.

Toti Paliano, September 10, 2009.

Monday, August 03, 2009

Sob a tua influência

Onde fui?
Pra onde andei?
Se tudo o que eu queria
era estar com você
se tudo o que eu queria
era ser pra você
aquilo que eu nunca
fui pra ninguém
aquilo que eu nunca
dei pra ninguém.
E hoje eu sei
que é contigo
que eu sou
o que sou
e sei para onde vou.

Toti Paliano, August 03, 2009.

Tuesday, March 24, 2009

Coisas XXXIV

Minha liberdade não tem preço
mas dou muito valor
pra todo bem que te desejo.
Se o fim de tudo estava próximo
o que fazia eu
longe de quem desejo?
Tinha tudo pra ser
um fim, no mínimo, diferente.
E enquanto tudo isso acontecia
você continuava por lá,
assim, indiferente.

Toti Paliano, March 24, 2009.

Sunday, March 15, 2009

Trabalho II

Ínfimo, ralo,
infame pagamento.
Escasso e curto,
só aumenta o sofrimento.
Os tais 30 dias
do velho calendário
só fazem é diminuir
o já mínimo salário.
E aqueles tão sonhados,
gloriosos benefícios
vão pouco a pouco
virando um sacrifício.
Ó labuta,
é dura a dor,
cansada e penosa
do pobre trabalhador.

Toti Paliano, March 14, 2009.

Thursday, March 05, 2009

Colorido

Estou branco
e tudo que escuto
são nuvens.
Amarelas são as luzes
tão claras
como o sol
na primavera.
Fico verde de saudade
de te ver
mas o azul claro
dos teus olhos
me deixa roxo
caído pelos cantos
meio zonzo
meio xoxo.

Toti Paliano, October 07, 2008.

Thursday, November 06, 2008

Labirinto da dor

Sofro, se sofro
e você
que nem olha pra mim
pare um tempo
levante seus olhos
se eu sofro
o que sofro
só sofro por ti.
Um dia depois
que isso tudo passar
essa dor,
esse rasgo
e a saída encontrar
espero que eu
ainda esteja
do lado de fora,
- Me beija.

Toti Paliano, November 03, 2008.

Friday, September 26, 2008

Coisas XXXIII

Travesseiro
travestido
com teu cheiro
de manhã.
Vou embora
e não consigo
te dizer
que sou teu fã.
Já faz tempo
que eu ligo
só pra te ouvir dizer:
- Ahãm.

Toti Paliano, September 26, 2008.

Thursday, August 28, 2008

Coisas XXXII

Saudades nos olhos
verdes de olhar
tua foto, teus olhos
eu quero encarar
e mais uma vez
te ver bem de perto
pra nem uma vez
saber que estou certo.

Toti Paliano, July 13, 2008.

Wednesday, August 06, 2008

Coisas XXXI

Eu ganho tempo
eu como vento
e não invento
o meu intento.
Eu sou asim
de um dia ruim
espremo tudo
até o fim
pra conseguir
a duras penas
e prosseguir
não sendo apenas
só eu.

Toti Paliano, August 6, 2008.

Monday, August 04, 2008

Trabalho

Trabalho
eu sei que é coisa
pra quem não tem tempo.
Com chuva ou com sol,
todos têm seus contratempos.
Empregados vão,
apertados, suados
num calor sem fim,
Carregados estão,
amuados, cansados
nem um pouco a fim,
E depois de um dia de cão
vertebrados, quebrados
caindo por cima de mim.
E têm também aqueles
demorados, atrasados
loucos por um fim,
mas sempre com esperança,
de emprego, almoço e grana
pro botequim.

Toti Paliano, July 28, 2008.

Pai e filho

Eles não se conheciam e eram perfeitos estranhos, um para o outro.

Pai e filho
somos como amigos e irmãos
uma dupla perfeita
em qualquer situação.
Mesmo com as brigas
se ele está por perto
fico bobo, contente
e viro guri
assim, de repente.
Se ele está longe
o tempo não passa
tudo perde a cor e minha vida fica logo sem graça.
Filho, deixa eu te chamar assim
minha vida vai ter mais cor
e a alegria não vai ter fim
com o amor que você dá pra mim.

Toti Paliano, July 23, 2008.

Tuesday, May 27, 2008

Coisas XXX

Tudo o que é meu
também quero que seja seu
como tudo nesse mundo
que um dia já se perdeu.
Houve tanto amor perdido
encontrado ou escondido
e ninguém sabe
o que foi que aconteceu,
quando foi que começou,
como foi que se passou.
Olhe pra mim e diga,
sou eu.

Toti Paliano, May 25, 2008.

Saturday, March 08, 2008

Coisas XXIX

Nessa cidade
de olhos azuis
nesses lugares
de cabelos vermelhos
estamos perdidos
a procura de um par
quando os dias são quentes
e quente é o amor
que vem de você.
Um dia te conto
que um dia serei
aquele que tanto
um dia quis ver
as cores
o gesto
teu olhar
teu afeto.

Toti Paliano, March 06, 2008.

Friday, February 15, 2008

Coisas XXVIII

Não fuja de mim
ó tempo passageiro
eu te quero tanto
que nem sei...
se devo continuar
a te querer
como costumo fazer
faz tanto tempo
que tudo aconteceu
enquanto eu brincava
de desenhar nas nuvens
você fez chover
no meu sonho.

Toti Paliano, February 13, 2008.

Sunday, February 03, 2008

Coisas XXVII

Amor e matemática
já perdi as contas
em teoria ou em prática
quantas vezes
eu fiz as contas
pra ver se você vinha
saía dessa
e me prestava contas
sonhava comigo
chegava a um resultado
que pudéssemos chamar
de amor de faz-de-conta.

Toti Paliano, January 26, 2008.

Sunday, December 30, 2007

Folhas amarelas 4

Fogos vermelhos
caminhos de sol
a chama azul
ainda me chama
e tudo que tenho
são estes pequenos e velhos
sapatos furados.
Lembranças de um dia
uma noite
um tempo,
talvez.
Retratos de tempo
de chuva,
de sol
e você.

Toti Paliano, December 30, 2007.

Folhas amarelas 3

Se no primeiro dia
depois do fim
eu ainda estiver aqui,
esqueça
porque eu já fui.
Se depois de um tempo
tudo ainda estiver valendo
não acredite
porque acabou.
A única coisa
que ainda lembro
é de quando você chegava,
com os cabelos nos olhos
e os olhos em mim.
Tudo era parte de um jogo
mas ninguém,
nem você,
me avisou.

Toti Paliano, November 14, 2007.

Folhas amarelas 2

Que saudade eu sinto!
Que saudade eu sinto de você!
E pra completar
estou em casa sozinho,
escutando o rádio
e toca uma música
que me faz lembrar
ainda mais de você...
Não sei
Não sei se choro
ou se corro
corro pra te encontrar.

Para D.
Toti Paliano, October 24, 2007.

Monday, December 03, 2007

Folhas amarelas I

Mortos ou vivos
todos vivem
na mesma cidade
mortos ou vivos
todos brigam
pelo mesmo chão
mortos ou vivos
todos somos parte
de algum passado
me diga agora
o que resta
pr'aqueles
que não escolheram nascer
e tão pouco sabem
como vão viver.

Toti Paliano, November 19, 2007.

Monday, October 22, 2007

Entre linhas xii

Às vezes eu penso
que já me tornei
aquilo que eu nunca
queria encontrar.
Nas noites mais frias
nos dias sozinhos
espero uma pista
um sinal ou um aviso.

Toti Paliano, October 20, 2007.

Entre linhas xi

Stolen on June 15, 2007.

Tuesday, October 09, 2007

Entre linhas x

Dias de chuva
noites sem sol
e tudo o que vejo
são só girassóis
aquilo que quero
aquilo que sonho
não sei onde estou
não sei se não tenho
talvez seja o frio
talvez seja o mar
talvez seja o verde
talvez o lilás
e o pior é que vejo
um cinza no ar.

Toti Paliano, October 08, 2007.

Wednesday, September 19, 2007

Entre linhas ix

Palestina, menina, serena
Deserto, secreto, tão perto
quero te ver, quero você
quero teu amor
o que é que eu vou fazer?
Quero teu amor.

Toti Paliano, September 15, 2007.

Thursday, September 13, 2007

Entre linhas viii

Teus cabelos
vão com o vento
eu tento
mas não entendo
o tempo
me dá um jeito
eu tento
mas só tem vento
e o azul do teu cabelo
ficou perdido
no infinito desse vento.

Toti Paliano, September 02, 2007.

Entre linhas vii

Quando você me achou
eu voltava do pior
triste tempo da minha vida
estava eu quebrado
juntando os cacos
mas o sol apareceu,
o dia melhorou
e eu juntei os trapos,
saí pra te encontrar
sem ter pra onde ir
nem ter hora pra voltar.

Toti Paliano, August 23, 2007.

Monday, August 13, 2007

Entre linhas vi

De vez em quando
páro, penso
olho e lembro
que não tenho mais tempo
aquele tempo em que fazia
tudo o que eu queria
mas esse tudo
não era tudo o que eu queria.
Talvez agora eu veja
que um dos grandes segredos
seja lembrar de viver,
amar sem pensar,
encontrar e perder.

Toti Paliano, August 09, 2007.

Wednesday, June 06, 2007

Entre linhas v

Quando te vi
quis te conhecer
quando te conheci
quis logo saber mais
e quanto mais eu conhecia
mais eu me interessava
hoje, não sei o que acontece comigo
ando perdido, avoado, distraído
e com a cabeça nas nuvens
penso em ti o tempo todo
te procuro em todos os lugares
tento te encontrar
porque quero teu olhar
quero te olhar
quero te tocar
sentir a tua boca
pra daí poder te amar.


Toti Paliano, June 06, 2007.

Tuesday, June 05, 2007

Ansiedade

Ânsia de não parar
Ânsia de não te olhar
Ânsia de seguir além
Ânsia de ser ninguém
O medo de acordar sem sol
O medo de contar as horas
O medo de desatar os nós
O medo de se encontrar a sós
Não tenho muitos lugares para visitar
Não tenho muitos sonhos para contar
Eu venho de muitas noites (feridas)
Eu venho de muitas cidades (esquecidas)


Paulo Consoni, June 02, 2007.

Entre linhas iv

Um frio
a pele sente
o vento, o tempo
tudo tão rápido
folhas caindo
e indo com o tempo
levadas pelo vento
quando,
eu vi o sol,
pensei que o frio passaria
me enganei
mais nuvens chegaram
e a chuva caiu
em mais uma noite fria.

Toti Paliano, June 02, 2007.

Monday, April 30, 2007

Entre linhas iii

Amar
o que fazer?
Não sei
quero amar
não sei quem
quero viver
como um alguém
tem muita gente
que não sabe
o que é amar
eu não sei
o que é amor
então venha
apresente-se
me apresente
o que é amar.

Toti Paliano, April 30, 2007.

Tuesday, April 10, 2007

Entre linhas ii

Um sonho estranho
numa manhã de Terça
na beleza diária
de nossas vidas baratas
até parece dia
de se ficar em casa
procurando um algo mais
pra se fazer ou ser
tentando ser algo ou alguém
num outro lugar onde
tão poucos têm
se eu fôsse você, desistia
largava tudo.
E sumia.

Toti Paliano, February 24, 2007.

Entre linhas

O cavalo vermelho
passou num risco
e o teu sorriso pequeno
não foi mais do que um riso
e eu nunca pensei que podia
encher o céu,
o mar
ou a lua
com todas as coisas
que eu sabia.

Toti Paliano, December 26, 2006.

Tuesday, March 27, 2007

No papel ii

Quando não há mais nada a fazer
e quando termina o prazer
sentar e chorar não vai adiantar
pois as lágrimas não vão apagar
olhe no espelho
e tente enxergar
aquilo que seus olhos
não conseguem ver
no vazio da tua alma
um corpo cheio, abandonado
perdido, procurando
na água da chuva
que corre das folhas
a tua cara
de tempo fechado.

Toti Paliano, February 26, 2007.

No papel

Tô debaixo da ponte
tenho medo da chuva
quero ficar sozinho
agora quem me garante
que você não vai chegar
descobrir nmeu novos segredos
e pra todo mundo contar
aqui, perto do rio
não tenho medo
mas sinto frio
ainda falta muito tempo
pra qualquer coisa acontecer
pra você chegar e dar de cara
e ainda me ver sofrer.

Toti Paliano, February 17, 2007.

Friday, February 09, 2007

Coisas XXVI

Nuvem que vem
que vai, que sai
que tem
e,
só me traz,
esperança.
Nuvem que eu vi,
eu sei
um bocado de amor
de dor, de horror
mas também carrega você
na lembrança.

Toti Paliano, February 02, 2007

Coisas XXV

Ela não responde
mas eu não quero nem saber.
Vou sair daqui
e vou tentar cair
fora do mundo,
fora de tudo,
antes que tudo acabe,
antes que Deus se mate,
e eu não consiga mais
ter o teu sorriso
amarelo escarlate.

Toti Paliano, January 25, 2007

Thursday, January 04, 2007

Coisas XXIV

Sob um céu cinza
debaixo de uma velha árvore
onde as flores
por acaso
são vermelhas,
que posso querer eu?
Senão o vago olhar do acaso
a me rondar meio raso
a me pedir licença
pra poder apreciar o ocaso.
Oh, tantas vezes eu pedi
ah, tantas vezes eu tentei
tentei, tentei
mas tudo o que vi
e tudo o que consegui
foi nada
nada demais
nada que eu pudesse fazer
que depois não fosse me arrepender
e agora
parei aqui
para tentar respirar
para tentar enxergar
mas não deu certo
então,
parti!

Toti Paliano, December 15, 2006.

Tuesday, December 12, 2006

Coisas XXIII

Coisas que eu não quero
aquilo que eu não espero
a vida sob
um olhar sincero
expectativas, lembranças
e a luz de uma esperança
que não vive mais em mim
talvez espere por alguém
que faça o meu dia brilhar
e ser algo assim
como a cena de um bar vazio
e você que não vem pra mim.

Toti Paliano, December 09, 2006.

Wednesday, November 22, 2006

A língua portuguesa no mundo

Língua! Portuguesa? Brasileira?
Africana? Ou mundial?
Mas que língua é essa?
Ou melhor, que vozes são essas?
Falar é fácil,
cantar mais ainda!
Suas alegrias, suas belezas,
suas SAUDADES e suas tristezas...
Língua de povos multiculturais
e gente de caras inter raciais.
Preto, branco, mulato e amarelo,
índio, vermelho, moreno ou caramelo!
Português do Brasil, do Timor Leste ou de Goa.
De Moçambique, Cabo Verde ou Lisboa
Língua do Rio, de São Paulo, do Japão e da PADARIA!
Voz alegre, risonha, seja aqui ou em Santa Maria.
Português do barro, da lama e do cacau
em Porto Príncipe, Aracaju ou Macau
Língua do tchê, do nordeste (ó xente!) e do sorriso de marfim
Voz da Madeira, do Mia Couto, de Angola ou do Bom Fim
em plena Índia, morena, loira ou asiática,
na literatura, na redação ou na gramática (!)...
Português de Açores, do Saramago e do Aurélio,
do presente, do futuro e do pretérito.
Língua da palavra, do abraço e do beijo,
do olhar, da paquera e do desejo.
Voz do futebol, do samba e do carnaval,
da pelada, do pagode e da preferência nacional!
Português do verbo, do predicado, do pronome e da crase,
do adjetivo, do infinitivo, do COM CERTEZA e do quase!
Língua do Jorge Amado, do Veríssimo e do Graciliano,
do Gil, do Chico e do Caetano.
Português do jiló, do araçá e do açaí,
da uva, da pimenta e do abacaxi
Língua do chimarrão, do chope com os amigos e do pôr-do-sol no Marinha,
falada em Recife, no Chuí ou em Cacimbinhas.
Idioma oficial em Salvador, no Corcovado ou em Guaporé,
na praia da Boa Viagem, no Leblon ou em Arambaré.
Português da Padre Chagas, da Calçada da Fama e da Avenida Paulista,
falada pela madame, pelo executivo e pela diarista.
Língua do rock de garagem, do hip hop da vila e do povo da periferia,
do forró, do baião, do sertanejo e do axé da Bahia.
Língua de tantos lugares
que cruza o oceano e o céu
brincando com as palavras
no rádio, na tv ou no papel.
Língua do bar, do boteco e do restaurante,
da cachaça, da cerveja e do refrigerante,
da sílaba fácil, da amizade, da liberdade
e para aqueles que choram de FELICIDADE!
Voz de gente de rua, da calçada e dos sem teto
que moram neste e no outro hemisfério
e que trabalham de sol à sol, passam fome
mas levam a vida muito à sério!
Mas afinal, que língua é essa?
É a NOSSA língua!


Toti Paliano, November 07, 2006.

Friday, October 20, 2006

Coisas XXII

Quando deitei com você
teu cabelo no meu rosto
e aquele perfume,
sim, daí tive certeza
de que você
era tudo aquilo
era tudo o que eu queria
sim, daí tive certeza
de que você
era o meu bem
de todo dia!

Toti Paliano, October 14, 2006.

Thursday, September 28, 2006

Coisas XXI

O silêncio de estar só
a dor de se perder
e o vazio do não saber
se estou onde estou
como vou andar
procurar um lugar
e sair do sofrer
correr pra mais longe
andar por aí
onde ninguém
nunca esteve
e sair do lugar
para não ter que viver
e cruzar com você.

Toti Paliano, September 25, 2006.

Monday, September 25, 2006

Coisas XX

E agora
que restou apenas a poeira
sobre meu corpo,
é difícil enxergar.
Tudo o que vejo
são apenas miragens,
restos de vidas,
de vidas perdidas
e de almas lavadas
em tempos passados.
Eu quero sair
deste deserto de escuridão
deste mar de solidão
e voltar a viver
como aquele homem
que um dia
me contava
velhas histórias.

Toti Paliano, September 25, 2006.

Tuesday, September 19, 2006

Coisas XIX

Com seus cabelos coloridos
e um jeito de não sei o quê
você foi se chegando
e eu ali, sem poder te ter.
Depois de um certo tempo
achei que não ia sobreviver
mas o mundo deu voltas
e agora
não consigo mais te esquecer.

Toti Paliano, September 01, 2006.

Tuesday, August 15, 2006

Coisas XVIII

Ei senhora,
onde vai?
Se eu ainda estou aqui,
por que você toma este caminho?
Se quando todos tentam livrar
de si esta coisa de dor
que agora eu não quero lembrar
você insiste em querer
levar tanta gente pra lá
e fazer acontecer.
Foi como no dia
daquela manhã cinzenta.
Era chuva na janela,
cheiro de terra no ar
e aquele gosto estranho
que agora eu não quero lembrar.

Toti Paliano, August 07, 2006.

Wednesday, July 26, 2006

Coisas XVII

Mesmo
que o infinito chegue ao fim
o sempre seja só amanhã
ainda assim
estarei pensando no que fazer
com o agora do meu pensamento
e o depois de tudo que sei
será apenas uma lembrança
dos vagos instantâneos que passamos
tentando insistir
em fazer um novo final feliz
para a nossa velha e conhecida
tragédia!

Toti Paliano, July 23, 2006.

Coisas XVI

Tudo em um dia
em completa harmonia
não sei o que você faria
se voltássemos para aquela ilha
talvez ilusão
ilusão talvez
não sei bem o que você fez
acabou-se tudo
com se não houvesse nada
terminou-se o meu mundo
assim
de forma inesperada.

Toti Paliano, July 10, 2006.

Uma das perdidas do caderno verde

A saudade te encontra
quando menos se espera
esteja onde estiver
ela não marca hora
apenas chega
e ocupa o seu lugar
no peito de qualquer ser
que respire.

Toti Paliano, April 12, 2002.

Uma das histórias perdidas do caderno verde

Tinha medo de falar sobre aquilo. Tinha se tornado um bloqueio para ele. A quase perda de seu irmão e melhor amigo foi algo que lhe afetou profundamente deixando grandes marcas. Eduardo não saiu de casa naquele dia. Passou um longo tempo parado, olhando pela janela e pensando no que fazer lá fora. O tempo estava feio, nublado e parecia que ia chover mas aquilo pouco importava naquele momento. Tanta coisa havia acontecido desde o acidente que ele já não lembrava de quando tinha sido. Foi depois da festa onde todos conversavam, bebiam e se divertiam. Neste momento ele pensou em como tudo pode ser passageiro na sua vida. Num momento estavam lá, felizes, em outro num corredor frio e esbranquiçado de hospital. As notícias que chegavam não eram boas e as pessoas que ele via em sua volta também não lhe animavam muito. Foi aí que ele lembrou de rezar. Fazia tempo que não rezava e por um instante ele até pensou se lembraria. Começou com uma Ave Maria e logo emendou um Pai Nosso. Na hora lhe pareceu ter trocado algumas palavras do final mas enfim, agora não importava mais. O importante tinha sido o pedido que tinha feito e a intenção de ajudar ao seu amigo. As horas passavam devagar e nenhuma notícia. Alguns parentes aguardavam e a única coisa que aquela enfermeira dizia era "Ele ainda está na cirurgia". Muito confortante! depois de algumas horas ali, começou a sentir fome e então desceu até a cantina para comer. No caminho iam dois funcionários que riam alto de alguma piada sem graça. Teve vontade de xingá-los mas se conteve. Lembrou que eles nada sabiam do que se passava com ele naquele momento. Depois de apenas engolir qualquer coisa ele voltou para aquela terrível sala de espera. Queria falar com alguém. Sua cunhada parecia muito nervosa e sua irmã continuava muda desde que chegara. Tentou se concentrar na leitura do jornal mas não conseguiu. Mas uma hora deve ter se passado e o médico então apareceu. Sua expressão não era boa. Ele parecia estar cansado e desanimado. Aproximou-se, perguntou por alguém e daí falou sobre o estado de saúde de seu irmão. Ele tinha sido forte e resistiu à todos os problemas. Teria que ficar algum tempo no hospital mas iria sobreviver. Isto foi o mais importante que Eduardo escutou. Suspirou aliviado e no mesmo instante agradeceu por ter sido atendido em sua prece. Não sabia bem porquê mas acabou lembrando que mais importante do que as palavras trocadas tinha sido a força de seu pensamento na tentativa de salvar seu melhor amigo e irmão. Sim, alguém tinha entendido seu pedido.

Para B.
Toti Paliano, February 07, 2006.

Tuesday, July 11, 2006

Coisas XV

Uma vida
que valha a pena viver
um amor
que eu não consigo esquecer
coisas da vida e do amor
que eu não posso entender

libere o medo
se solte ao vento
viver sem amar nem sofrer
é total perda de tempo

grandes coisas aconteciam
tudo em volta de mim é você
e quanto eu mais te conhecia
sabia que iria perder.

Toti Paliano, july 08, 2006.

Monday, July 03, 2006

Coisas XIV

Um dia
ainda quero ser eu mesmo
correr, brincar,
voltar pra casa
pelo mesmo caminho,
ouvir, contar,
as mesmas histórias,
tentar encontrar
aquilo que perdi,
em casa ou mesmo
no pátio vizinho
onde também encontrei
alguém que mudou
o meu jeito de ser,
tentando aprender
a melhor te conhecer
pra poder entender
como é ruim
ficar sem te ver.

Toti Paliano, june 24, 2006.

Coisas XIII

A única coisa
que sei de fato
é que eu existo.
não me pergunte
nem venha me dizer
em que mundo eu vivo.
olho as pessoas
e penso em você.
o que eu faço?
se tento acreditar,
quando páro e penso,
tudo que vivi
foi só mais um passo,
momento sem razão,
estrada natural
de quem viveu a vida
sem se deixar viver,
tentando atravessar
um mar de pensamento
em apenas um momento
entregue à emoçãodo puro sofrimento.

Toti Paliano, june 17, 2006.

Filosofia

Quando nada é alguma coisa
você pára para pensar
que tudo tem algum sentido
de alguma forma
e em qualquer lugar
basta encontrar razão
para prosseguir
basta viver,
se impor
para existir.
a palavra é a sua maior arma
o pensamento, sua vontade
e tudo que está em sua volta
um dia vai fazer sentido
basta encontrar razão
para prosseguir
basta viver,
se impor
para existir.

Toti Paliano, june 15, 2006.