Sunday, January 13, 2013

Uma história pequena, parte 2

Capítulo 2
Clarissa sempre teve vontade de falar com ele. Sim. Podia não parecer mas ela gostava do jeito tímido e quieto de Pedro. Ele tinha algo que chamava a sua atenção mais do que muitos dos outros garotos. Mas ele era muito, mas muito tímido, e ela não entendia aquilo. Ele era bonito e educado e todos gostavam dele, apesar de quase nunca abrir a boca. Ela sempre notou seus olhares que fugiam quando ela tentava encarar mas nunca passou daquilo. Desde o primeiro ano ela sempre teve curiosidade em conhecer aquele colega mas ele

Capítulo 3
- Hã...? É comigo?
- Pedro, tu tá bem?
- Não... sim... quer dizer, tô... é que... é que... não sei...
- Eu precisava da tua ajuda mas acho que não vai dar, né?
- Não, acho que não. Quer dizer! Sim!! Claro!!! Mas do que é que tu tá falando mesmo?
- Ai Pedro, acho que hoje tu não tá bem, né?
- Tô sim. Desculpa. É que esses trabalhos estão me deixando meio louco!
- Ah, eu também.
- Mas me diz, o que tu precisa? Tem certeza que é comigo?
- Bom, eu tô meio mal em Inglês e todo mundo sabe que tu é o cara na matéria e só tira dez nos trabalhos. Preciso da tua ajuda pra montar esse diálogo que a profe pediu.

Pedro escutou aquilo e pensou bem mas ainda tinha a impressão de que não era com ele aquela conversa. Disfarçou e olhou para trás para ter a certeza de que Clarissa não falava com algum de seus colegas e então criou coragem para voltar a olhar para ela.


- Pedro... Pedro!
- Oi, desculpa! Eu acho que tô um pouco cansado mesmo!!


Naquele momento Clarissa até pensou em desistir da ajuda dele mas precisava muito daquilo, por isso decidiu continuar tentando fazer contato com seu estranho colega.
Quando tudo parecia calmo, Pedro Luís entrou em pânico. Era a primeira vez que Clarissa vinha falar com ele em todos aqueles anos. Os dois conheciam-se desde o primeiro dia de escola na primeira série mas nunca haviam se falado. Não por falta de vontade dele. É que ela nunca o notara. Clarissa era daquelas meninas perfeiras, conforme a descrição de Pedro. Era bela e inteligente. Com cabelos loiros que faziam qualquer dia transformar-se em uma bela manhã de sol de primavera. Tinha olhos verdes que serviam ainda mais para reforçar sua idéia de perfeição. Sua voz era doce e delicada e quando falava tudo parecia ter sentido. Sim, ele sempre fora seu fã e também um apaixonado pelo jeito dela. Por várias vezes ele já decorara aquelas palavras em frente ao espelho mas na hora H travava. O medo e a vergonha de adolescente faziam com que ele não conseguisse pronunciar uma única sílaba. Mas agora, o que faria? Ela estava ali para parada na sua frente, falando sobre aquele trabalho de Inglês mas ele não sabia o que dizer...